quarta-feira, 27 de junho de 2012

Em breve no Blog...


Mega Disney! 

A maior revista Disney do mundo! Mais de 800 páginas de quadrinhos!

E além dela...


A Sombra do Batman - Nº 1

A nova revista mensal do Cavaleiro das Trevas! Apresentando: Batman & Robin. Batgirl, Batwoman, Asa Noturna, Capuz Vermelho e os Foragidos, Batwing e a Mulher-gato!
É, eu sei, eu sei, eu comprei mesmo uma revista de Super-heróis depois de muitos e muitos anos de mangás e ausência de Marvel / DC, quem diria!
E já adiantando: gostei dessa revista nova do Batman! A Mega Disney ainda não li inteira, mas isso pode ser providenciado!
Até breve pessoas! o/

sábado, 16 de junho de 2012

Sobre Valores e Artistas

Fabiano, me fale sobre valores que desenhistas de mangá deveriam ter.

Humm...você perguntou de desenhistas, mas vou falar de artistas em geral, ok?
Eu acho muito triste ver, presenciar que poucos artistas possuem valores e os aplicam às suas obras e sua própria vida.
Parece que tudo gira em torno do reconhecimento, da grana, da fama...
Tá, isso faz parte, mas não pode ser tudo.
Um exemplo bobo que eu sempre vejo aqui e ali: artistas não costumam dar expontaneamente coisas para os outros. Um desenho, um rascunho que seja.
Tá, você pode alegar que se alguém quiser um desenho que compre, mas isso não seria alinhavar que tudo tem um preço?
Não é assim, pelo menos pra mim que as coisas funcionam.
Se tu coloca um preço em tudo, quer dizer que talvez, até seus valores estejam a venda, e isso é especialmente perigoso. Porque alguém que vende tudo, de si mesmo ao que produz, é sempre levado pela bagatela mais alta independente do que quer que seja considerado.
Artistas, independente do estilo devem ter um foco, uma ambição, querer melhorar sempre, saber filtrar críticas, quando entrar num projeto ir nele até o fim, independente do que possa ocorrer.
Não são essas coisas que eu vejo por aí nos artistas.
Poxa, eu fico até sem jeito sabe? Eu tenho aqui comigo um punhado de fanzines que estão simplesmente parados a anos, assim não dá!
Cadê o compromisso? Como fica quem leu isso e por pior que seja, gostou da história?
Pior! Cadê o planejamento do artista? Não tem? Quando falamos de artistas novatos, esses bem novinhos, na casa dos 13~16 anos vá lá, cobrar compromisso deles é exagero, mas é quando o artista tem mais de 18 anos?
Chato isso, hein?
Queria aproveitar e falar de uma pessoa que fez algo que eu achei muito lindo de tudo.


O autor de Rainy September, o João Paulo, ou melhor, Joo, fez uma brincadeira no blog dele. A brincadeira consistia em mandar um comentário qualquer sobre a história dele, Rainy September, que você pode ler indo aqui: http://m.dpzine.com/2011/05/one-shot-rainy-september-parte-1-2.html ou baixando a revista Union Arts que contém a história completa indo aqui : http://revistaunionarts.tk/
Daí tu mandava seu endereço para um mail e o Joo enviava um cartão, impresso, para quem tivesse mandado o endereço.  A imagem do cartão é a que está nessa parte da postagem.
Vocês estão me entendendo? Ele fez isso expontaneamente, sem esperar nada em troca.
Fez porque queria agradar alguém.
Me perguntou porque eu não posso ver exemplos como esse com mais frequência.
Bons exemplos, por sinal.
Daí um moleque qualquer vira pra mim e reclama que ninguém lê as coisas dele, mas oras!
E o que ELE faz pra chamar o pessoal para ler? O que esse cara tem a oferecer além de um rascunho mal-feito de uma história plagiada de anime que ele assistiu e tem apego sentimental?
Você estão entendendo onde eu quero chegar?
A coisa começa no próprio artista, que não cultiva valores.
Daí ele quer que as outras pessoas, que não tem nada a ver com ele tenham valores para com ele!
Gente do tipo "Venha a nós" e na hora do "Vosso reino" dá nada.
Esse tipo de gente, nem preciso citar, costuma ter produção rala, mal-feita, cheia de buracos, em algum momento eles param.
Ou então é aquela menina pseudo-desenhista que manda aviso via Facebook dizendo que não trampa de graça. Tudo ok, até tu levantar a ficha da gaja e descobrir que ela deu mancada com um cara lá num outro tempo...
Casa de ferreiro o espeto é de pau, é isso?
Ou aquele infeliz de um desgraçado que quer fazer jogo 3D sozinho, com jogabilidade inovadora, engine fodona, mas não sabe programar um tijolo em cima de uma ladeira. Mas olha lá a pose do infeliz!
E você fala pra ele de coisas como o Angry Birds, que ganhou o mundo, fala pra ele do Fan-game de My Little Pony: Fighting is magic e o cara desdenha, dá risada, fala que "Ai, mas isso é muito simples!"
PORRA!
O cara não sabe fazer nada e ainda tira uma de quem tá fazendo? Ai, mas esse artista é muito bom, minha gente! Nossa, não, aplausos pro cidadão, ele merece!
Que pena que o mundo é injusto e ainda não descobriu a genialidade desse nosso amigo!
Falando sério...o problema é o ego desse pessoal. É tudo caso de ego.
O cara tá ali fazendo aquilo é pra chamar atenção pra ele, pra que olhem pra ele, que o admirem, que o adorem.
Só que essas pessoas são terrivelmente vazias, não estão nem ai com nada, apenas com si próprias.
Eles não querem dar nada pros outros porque não tem nada a oferecer além de si mesmos.
E uma arte rala.
Mas o que eles não sabem é que artistas, antes de tudo, são seres humanos melhores.
Bem dizia o bom Bk, que criar minha gente é um exercício de doação. Você precisa fazer aquilo, se doar nos seus personagens, nos seus gestos, para chegar no coração das pessoas.
Esses 3 aí que eu citei se tu for ver, eles não tem personagens feitos para tentar agradar os outros. Eles tem coisas que são ELES emulados dentro de um contexto, de uma história.
Quer dizer, só os dois primeiros tem personagens. O terceiro lá nem personagem tem, é só panca.
Mas o que ocorre? Como eles são vazios em suas existências miseráveis, os personagens acabam ficando ocos, rasos.
Sem paixão, sem tesão.
Mas olha lá o desenho dos dois. É legalzinho.
Mas é legalzinho porque eles entenderam que é mais fácil tu fazer um desenho bonito e alguém gostar do que tu contar uma história e alguém gostar.
Ó a preguiça atacando de novo. Olha o ego desses dois levando eles pro lado mais fácil.
Eles vão se fuder é claro.
Daí, talvez um dia, quando eles estiverem lá longe, na velhice deles, casados ou não, eles soltem um suspiro e se lembrem do que deixaram pra trás.
Mas aí não vai dar mais tempo de fazer nada.
E assim vamos indo.
( Espero sinceramente que o Joo não seja como eles. De verdade. )