domingo, 27 de março de 2011

Sobre Superu-Shounen


E sobre Superu-Shounen, vi que tu criticou lá no blog...

Isso é chamado de produção amadora.
Wallace é um desenhista novo, tem suas influências e algumas delas saltam aos olhos nas histórias que ele cria.
É absolutamente normal.
Ele ainda está muito "cru" pra ser considerado bom ou ruim.
Quando ele tiver um traço mais desenvolvido, idéias mais desenvolvidas que o simples "adaptação de idéia dos animes e mangás que eu gosto", daí a gente poderá falar algo mais firme e consistente sobre ele como artista.
Por enquanto, tudo é farra, diversão, é o tal "faço o que eu gosto".
Não está errado.
Mas a idéia é ele, a partir das suas obras, ir se conhecendo melhor, ir se aprimorando com isso.
E ir fazendo coisas cada vez melhores aos olhos do público.
Não é um caminho fácil, mas ele me parece decidido a segui-lo.
O tempo me dará a resposta!
O destino do amador é se tornar, um dia, profissional. Mas existem amadores que ficam amadores pra toda uma vida.
Não me parece que seja o objetivo do Wallace.

terça-feira, 22 de março de 2011

Crítica - Superu Shounen



Ou: faça-se justiça!

Sim, faça-se justiça. Porque eu só conheci o nefasto Dragon Fighter por causa do autor de Superu Shounen.
Senhor Wallace, que usa o nick de Satoshi-kun tem 15 anos e mora no interior de SP.
É um otaku, como devem imaginar.
Desenhista amador, apareceu certo dia no Yahoo Respostas perguntando coisas e divulgando seu mangá, chamado Superu Shounen.
Nada demais. As influências do garoto são claras, animes de pancadaria, básico de qualquer artista amador e pokémon.
Esse é o problema.
Site do mangá é esse: http://wallace77.no.comunidades.net/
Ao que parece, Wallace vai mudar o endereço pro famigerado Webnode, por isso o link acima está offline.
Quando o site novo estiver no ar, eu atualizo o endereço.
Resumo da ópera: Superu Shounen conta a história do SG. Sim, vcs não leram errado, o personagem é chamado o tempo todo como SG. SG pra cá, SG pra lá, tudo bem, eu acho que chamar de SG é mais simples que chamar de Super-Garoto.
Super-Garoto...Argh...que nome! Vai SG mesmo!
SG mora com seu irmão Ishida Hikari num dojo, uma escola de artes marciais. Providencialmente, os pais estão sumidos / mortos / insira aqui especulação acerca do passado do personagem.
Um dia, por razões ainda não muito claras, Ishida vai ter com um cara poderoso uma conversinha, suspeito que o cara seja o bandidão da história, algo assim.
Obivamente, Ishida acaba quase morto no processo, sangrando como um cavaleiro do zodíaco ( ou talvez um pouco mais ) ele volta pra casa e SG cuida dele.
Na manhã seguinte, SG vai pra farmácia procurar remédio pro irmão. Deixa o maluco lá, deitadão na cama.
Acho que não preciso comentar que o cérebro do SG é meio que equivalente ao de uma casca de amendoin, não? Em resumo, ele é BURRO, MAS BURRO QUE DÓI!
Chamasse uma ambulância, lol!
Mas não, deixa o irmão lá! Passa umas faixas nele e deu, ele aguenta!
Enquanto nosso amigo SG vai comprar remédio, o irmão acorda e dá pela falta do irmão.
O que ele faz?
Sim, ele sai ferido e sangrando como se nada tivesse acontecido.
Euri.
Caras, eu preciso realmente dizer, com tudo isso denunciando acima, que o Ishida só morreu porque o vilão lá deu uma porrada nele como golpe de misericórdia?
Preciso dizer que era pra ele ter morrido de tanto que sangrou?
Preciso dizer que entre o SG e uma porta, a porta é mais esperta que ele?
Não, não preciso.
Nessa da morte do irmão e o começo da história, rolaram 7 anos. SG agora tem 14 anos e quer ser o lutador mais forte do Torneio Contender e blablabla.
Ele conta com a ajuda de uma mística pokédex fake que fala pra ele com quem ele deve lutar.
Wow, tecnologia foda! 8D
Não quero pensar em como ele fez pra sobreviver nesses 7 anos sozinho e ainda tem grana pra bancar um brinquedinho desses.
Tá foda! x(
Enfim, a brincadeira é um mangazinho de aventura, puxa um pouco o humor, tem doses cavalares de sangue em algumas partes...é, a cabeça do Wallace tá uma zona, ele não sabe, na real, como conduzir a história, o que fazer com ela.
Carinha de 15 anos querendo ser mangaká é uma tranqueira!
Mas pelo menos ele parou um pouco com aquilo de ser o maior mangaká do mundo.
Coisa de moleque!

quarta-feira, 16 de março de 2011

RPG é chato?



Sem querer ofender, mas qual a graça de jogar RPG?Aquilo é chato pra caralho!

Tem que ver o seguinte: o que te agrada pra tu ir jogar RPG? Encontrar os amigos? Ficar com eles mesmo não entendendo direito como a coisa funciona? Fazer personagens e participar da história?
Sabe, por muito tempo eu narrava RPG para um grupo de amigos e me divertia com as brincadeiras deles, loucuras deles, narrar a história era um elemento, eu estava lá porque no fundo, queria estar com eles.
Quando comecei a jogar, faltava algo, eu lia as regras, fazia personagens diferentes, mas dentro das regras, mas aquilo não me divertia na verdade. Fui pra internet e demorei pra entender o que me divertia naquilo. Eu ia pra ficar com conhecidos da net, apenas.
As histórias não me agradavam na verdade, não me divertiam.
Eu demorei pra perceber o que me agradava de verdade naquilo.
Só descobri algum tempo depois, mas nesse meio tempo o grupo com o qual eu jogava se desfez, e cá estou eu. Tenho evitado jogar pra não me frustrar, mas ainda sinto vontade de jogar algumas vezes, fazer personagens diferentes, tentar enfiar alguma idéia filosófica na cabeça do pessoal.
Ou pelo menos, fazer algo diferente.
Acrescentar algo ao simples: somos aventureiros e saímos de casa para viver aventuras.
Mas chega de falar de mim, cara pense então o seguinte: O que te agrada pra ir jogar RPG? Pense nisso. Não é uma resposta fácil, eu sei, mas tente descobrir.
É isso! =)

terça-feira, 15 de março de 2011

Cartoons Americanos


que cartoons americanos você gosta?

De forma geral, os desenhos animados gringos melhoraram muito. Eu gosto das animações da Pixar, da Dream Works e de outras ( "Deu a louca na Chapeuzinho", embora não seja desse pessoal já calejado e famoso, eu achei divertido ). Os gringos sacaram que é melhor e mais proveitoso fazer animações direto no computador mesmo, por isso tanto desenho animado com animação assim e poucos em 2D ( o estilo tradicional, usado no filme dos Simpsons ).
Mas o principal são as idéias por trás de cada filme, nisso o povo deu uma renovada legal. A verdade é que os filmes da Disney estão com fórmula gasta, precisavam mesmo de uma renovada. E nessa brincadeira da Pixar salvando os filmes Disney, outras empresas entraram na brincadeira e estão fazendo filmes tão bons quanto.
Todo mundo lucra nisso!
Na TV a coisa tá meio embolada, fizeram desenhos novos de super-heróis, Homem de Ferro, Homem-aranha, dera uma carinha de mangá com olho grande e em alguns casos cabel ocolorido ( Jovens Titãs ), tem uma outra corrente que puxou o estilo Cubista do Bruce Timm ( Batman, Super-homem, Liga da Justiça ), mas esses da DC. O mais novo agora é Batman: Os Bravos e Destemidos, onde o morcegão contracena com alguns heróis da DC, achei legal isso de ver o Gladiador Dourado e o Homem-borracha nas paradas.
Tirando os super-heróis, eu gostei muito demais da conta de Avatar: A Lenda de Aang, fiquei sabendo que vai ter continuação e ela começa esse ano. Achei legal isso.
Invasor Zim eu tenho assistido na Bandeirantes, rolam umas paradas absurdas em algumas histórias, eu gosto disso.
Além desses, gosto dos desenhos mais antigos do Pica-pau, acho o Pernalonga e turma dos Looney Tunes meio bestas.
Duck Tales era legal, mas ficou bobo com o passar do tempo. Nunca engoli o Patralhão e o Robo-pato.
Que tal? =D

quinta-feira, 10 de março de 2011

Crítica - Anarriê

Ou:  O que Michel Borges tinha na cabeça quando fez esse quadrinho??

Salve todos! Entonces, continuando nossa incansável sede de crítica de quadrinhos, falo hoje para vocês de Anarriê, álbum lançado durante o último Fest Comix.
Hummm...por onde eu posso começar...?
Tão vendo a capa aí em cima, né? A capa é coloridona, chamativa, a idéia dos pivetes remete algo de uma história infantil, e é bem por aí.
O traço do Michel Borges não é aquele delírio como as meninas do Estúdio Seasons ou do Futago Estúdio, é algo mais simples, mas ainda assim puxa um cadinho de mangá.
Como desenhista, o Michel sabe desenhar cenários, pegar ângulos com uma boa perspectiva (pelo menos pra mim né?), enfim, tecnicamente o traço dele, mesmo sem ser demais, funciona.
Problema é o que ele escreve!
Resumo básico da história: Andressa e Gabriel vão pra festa junina da escola. Tá. Eles se detestam. Ok. Chegando lá, descobrem que seus pares na quadrilha faltaram ( coincidência, né? ) e que ELES TERÃO QUE DANÇAR JUNTOS!
Ok, merda feita. Obviamente os dois gostariam de mandar os profes a merda, mas precisam ficar com os pais e essa papagaiada toda de festa junina em escola. Durante uma dessas brincadeiras xaropes de escola, eles ganham um estranho chocalho com motivo indígena e brigam para saber quem ficará com ele.
No meio da treta, eles tocam o chocalho e do toque do chocalho (ui, que sexy!) fazem TODO MUNDO NA QUERMESSE VIRAR PIPOCA.
Tá, eu ri.
Merda feita [2]. Os moleques ficam mais perdidos que cego em tiroteio e eis que apareça ela, a grandiosa, a funhanhosa, a incrível, CAIPORA!
(Que infelizmente não tem nada a ver com a Caipora do Castelo Rá-tim-bum, saudades! ç_ç)
A Caipora ( ou melhor dizendo: Mira Anhangá, ela mesma se chama assim! ) chega num porco-do-mato gigante ( ou melhor dizendo, um Cateto, cacete! D: ) chamado Buta! Humm...Buta, Butt, sei não...nome estranho esse! Tira um sarro dos moleques que eles usaram um feitiço do berego lá sem saber e conta que geral virou pipoca!
Os garotos ficam com a cara no chão.
Felizmente, a Cai...digo, Mira Anhangá fala pros pivetes que eles podem salvar geral, se juntarem 5 amuletos, uns tais Muiraquitãs ( eita porra!!! ) antes do anoitecer.
Ela oferece o porco, digo, Cateto para ajudar eles e lá vão os moleques rodar o Brasil atrás dos tais Muiraquitãs.
Ah, o Cateto AVOA. Sim AVOA, é um bicho mágico, então foda-se, ele AVOA mesmo.
E a ca...digo, Mira Anhangá não tem os pés virados pra trás. Eles estão normalzinhos. Pequena falha, mas perdoável, vá lá!
Bem, acho que posso mandar spoiler, né? Com um resumo desses aí em cima vocês já devem imaginar como termina essa história. Os moleques passam por muitos locais, vão pro Paraná, Gruta do Lago Azul ( Lagoa azul, huh?? oO ) Pátio do Colégio em SP, e dão até uma passada no Festival de Parintins, no Amazonas, onde acontece a disputa entre os bois-bumbá Garantido e Caprichoso.
Olha, eu fico pensando pra quem o Michel Borges escreveu essa história. Sério.
Não foi pra mim, leitor calejado de quadrinhos de mais de 30 anos. Nem haveria de ser.
Não foi pra crianças, elas não querem saber desse negócio de festa junina ou folclore brasileiro.
Não foi pra jovens, que cagam e andam pra isso citado acima.
Não é pra adultos, não, não mesmo.
Pra quem foi então?
Mistério.
Pior é ver o ProAc, que tem uma proposta até nobre, por assim dizer, ficar atolado por HQs como essa, que vão do nada pra lugar algum.
Que não acrescentam nada.
Que não falam com ninguém, só com o autor!
(Acho que nem com o autor!)
 Não falando sério, sem zoeira!
Michel!
MICHEL!
Porra cara, tu entrou no edital, eu pago meus impostos, foi grana minha aí pra patrocinar essa tua brincadeira!
ENTENDEU?  FOI GRANA MINHA PRA PATROCINAR TEU ÁLBUM DE MERDA, CARA!
Você deve estar de boa na lagoa, sabe que as pessoas não ficam sabendo desses editais, menos ainda que estão bancando produção de gibi que nunca vão ler!
Pode fazer a merda que quiser, tanto faz no fim das contas, né?  Vc publica, a gente não lê, e foda-se todo mundo, o que importa é tu, não é isso?
Tem que enriquecer teu currículo de "artista" né?
A custa de dinheiro de gente de todo estado de SP!
Palmas, parabéns Michel! Quão grande você é!
Um grande canalha isso sim! E canalhas nunca fazem nada que presta!
Por sinal, tava olhando teu blog, a história é tão legal, tão importante pra ti que só teve UMA entrada em todas as postagens!
Quer dizer, você mesmo sabe que fez merda, mas admitir que fez...Ah, admitir...
Amador "profissional"!
É isso que tu é!
========
(Des)Serviço
Nome: Anarriê
Editora: HQM
História e Desenhos: Michel Borges
Nº de Páginas: 104
Preço: R$ 29,90  (Pechincha, né? Será que rola reembolso pra mim?)

Acabou o Carnaval!



Vídeo maravilhoso passado para mim pelo Plurk. A Jornalista ( com "J" maiúsculo ) fala muitas verdades sobre o Carnaval, não só da Paraíba, mas de todo país.
Me pergunto se ela continuou no emprego depois de ter detonado "uma das maiores festas populares do mundo"!
Precisamos de mais Raquel Sheherazade no Brasil! Alguém por gentileza, clona essa mulher!