quinta-feira, 10 de abril de 2008

Desabafo


Trabalho estressa.
Não o trabalho em si, digo eu. Mas o ambiente.
Tem uma dona aqui no meu serviço que é um saco. Mais ou menos a mesma coisa que a dona do trampo do Pablo, eu acho que esse tipo de ambiente de trabalho sempre atraí gente desse tipo.
Trabalhamos num sala toda azulejada, então ela é naturalmente fria pra caramba. Quando faz calor, aqui dentro fica fresco, quando esfria...valha-me deus!
De ver essa dona todo santo dia, a gente começa a pegar as manias da mesma.
É algo que até dá pra rir, porque tem coisa que é loucura pura mesmo.
E devo dizer, essa dona é louca.
Ela não tem assunto: é foda, eu sei. A pessoa não tem o que falar, quando abre a boca só saí pérola, quando não algo mais baixo mesmo.
É um tal de repetir termos de novela, falar de desgraças que viu na TV, fofocar dos outros, é um treco impressionante. E quando ela desanda a falar de si mesma e das coisas que acontecem na casa dela? Meu, de boa, o que muda na minha vida saber que o cachorro da casa dela correu atrás de ratazana?
Enfim, uma pessoa pequena.
Manias: Poucas, mas irritantes. Quando nervosa, ela aumenta a volume do viva-voz do fax. É um inferno. Às vezes, eu saio da sala e ouço pro meu espanto, que o ruído do telefone chamando pode ser ouvindo de longe. Fico pensando como vai ficar as orelhas dessa dona depois que ela for mandada embora. Uma mania curiosa que eu notei nela: ela tranca a primeira gaveta da mesa dela. Teoricamente, ali deveria ter coisas que a comprometessem ou coisa que o valha. Dia desses ela deixou a gaveta aberta, fui lá, olhei, mexi um pouco e o máximo que achei foi um desses envelopes grandes cheio de canetas azuis, vermelhas e lápis que ela nunca usa, pois prefere as coisas da casa dela.
LOL?
Outra: em tempos passados, eu me mostrei, de boa, como eu pensava perante esse pessoa. Eu brincava, falava das coisas, era razoavelmente feliz.Um dia, eu, de saco cheio da pose dessa dona, tivemos uma briga feia, eu xinguei ela, ofendi mesmo. Eu estava uma pilha. Sei que uma semana depois minhas férias foram liberadas. ( Em tempo, por sinal, mês que vem, vencem de novo. Estou com duas férias vencidas e não tenho como tirar. Precisam de mim aqui no setor. ).
Mas quem disse que a postura dela perante minha pessoa mudou?Nada.
Voltei das férias, tá tudo igual. Sem tirar nem por. Ela não muda.Talvez por causa disso eu esteja estressando de novo...Um colega meu até comentou: "Você anda esquisito Fabiano...tá triste."
Verdade, verdade...
Olha, sinceramente, eu não recomendo pra ninguém serviço público. A falta de infra-estrutura é horrível: o pc onde digito é velho, a impressora ( matricial ), quebrou e não tem expectativa de quando terei uma nova, as mesas e cadeiras não são nem um pouco ajustadas para quem trampa com digitação ( milagre eu nesses ultimos anos não ter pegado tendinite ), as férias vencem e você não pode tirar elas pela eterna falta de pessoal ( mesmo com concursos públicos rolando anos a fio ), e as pessoas...Ah, as pessoas. Olha, serei sincero, dos "colegas de Trabalho" passando dos usuários, até algumas chefias, só tem peça!
É rídiculo. Você pode até querer fazer o serviço corretamente, como mandam as regras ( por vezes obscuras ) do sistema e tal, mas é batata: seu trampo pára quando tromba com gente que não está nem aí.
E devo dizer, isso abunda em serviço público. Daí rola o seguinte: do que adianta eu fazer meu trampo correto se chega lá na frente ele pára porque os outros não estão nem aí? E se a chefia for composta de idiotas? Olha, eu tenho aqui longas listas de devolução que fazemos pros postos. O pessoal não caí em si. O serviço deles não muda. Nunca. Servidor público, se não for vagabundo, sofre. Sofre muito. E olha que nem entrei no mérito do que costuma ocorrer aqui, de uma pessoa ser polarizada e jogarem tudo nas costas dela. E como corrigir esses problemas? Não tem como. Pode falar de boa ( como eu e o povo aqui fazemos ) pode xingar, ofendar a mãe, falar que a chefe do local tal bebe porra, que não adianta.
A verdade é que as pessoas não querem cair em si.
Pra fechar, porque vocês acham que tanta gente larga serviço público e parte pra outra? É foda gente.
Serviço público não é aquilo que o povo pensa não.
Valeu.
( Ah, merda de telefone alto do caralho ! )

6 comentários:

Kijar disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
The Fool disse...

De novo bot com vírus aqui?
Acho que vou ter que ligar a moderação de comentário pra peneirar os comentários aqui?
Tsk, tsk...

Sumire disse...

É...
Chefe burro...
Gente ridícula...
E fofocas a mil.

Aos 16 anos [okay, desde os 15 lol] a criança aqui viu [e ainda vê todo dia -.-] isso também.

meodeos aonde esse mundo vai parar...?

The Fool disse...

Pois é Sumire...
Minha chefe é boa gente. Mas o que mata é o ambiente mesmo.
Mas bem, hoje eu achei de novo uma antiga amiga, vamos deixar isso de lado! =)

Fox Faelivrin - Máquina de contar histórias disse...

Por estas e outras que eu deixei de pensar em trabalhar em carreira pública...

Vou ficar no capitalismo das empresas multinacionais. São prazos e metas doidos, mas a vida é mais emocionante aqui.

Inté

The Fool disse...

Que alívio receber comentários de gente aqui... @__@
Pois é Fox, mas apesar dos pesares, até que a gente leva bem o trampo aqui. Claro, tem os vagais da vida e os malucos de sempre, mas pensando bem, isso tem em qualquer lugar, né?
Por sinal, vou linkar teu blog lá na lista. 8D