domingo, 19 de agosto de 2007

Equilíbrio


É complicado manter uma vida equilibrada, não?
Tudo nos empurra pra uma série de excessos. Não há um interesse real em se equilibrar o que quer que seja.
Temos excesso de amor, excesso de ódio, excesso de preguiça, excesso de zelo, excesso, excesso, excesso.
Tudo é superlativo. Sempre.
Sinceramente, isso enche o saco.
Estou com 31 anos, nesse meio tempo vivi e ainda vivo momentos de excessos.
Contudo, sou um ser humano ciente desses excessos e que os mesmos não me fazem bem, muito pelo contrário.
Então, de minha parte, não sei da sua ou de quem quer que seja, decidi dar um fim nessa fase de excessos.
Já vivi, em certo momento da minha vida, perdido há alguns anos atrás, uma fase de equilíbrio.
Entretanto, essa fase me foi abruptamente cortada por motivos até hoje que eu sequer imagino, e daí caí em um ciclo sem fim de excessos.
Liguei o "Foda-se". E assm ficou até hoje.
Chega, de minha parte, parei.
E pensar que tem gente que fica com o "Foda-se" ligado 100% do tempo sem sequer perceber o que está fazendo ou o que isso vai acarretar à própria pessoa.
Desculpas minhas a esses. Mas passei dessa fase de usar o "Foda-se" como desculpa para tudo.
É isso.

4 comentários:

Kajiya disse...

Não sei se passei por essa fase, mas espero não passar.

Fabiano Alves disse...

Você pode passar Mário, isso é coisa da vida, e tem hora que é melhor usar o foda-se mesmo.
A porcaria, pelo que eu percebi por experiência própria é que tu não pode é usar o foda-se pra tudo que acontece.
Daí pra que tu teria um cérebro, sendo que pra tudo que fizer, basta um foda-se e fim de papo?
Pelo que eu ando percebendo por aí, é muita gente que escolhe o "foda-se way of life".
E isso cara, é o triste. ._.

Carola Richardson disse...

Fabi... por que disso? Acho que eu nunca tive momentos assim - ou se tive, resolvi de outra forma. Nunca fui muito da teoria que o "foda-se" é bom porque eu acredito que não é assim que situações ou pessoas dificies podem ser resolvidas. Embora eu até concorde que em certas situações é bem fácil fazer isso, simplesmente não ajo assim, porque minha natureza e compreensão da vida está em outra visão.
alias a coisa que eu faço mais próxima a isso é simplesmente ignorar e só.

Fabiano Alves disse...

Carola, me permita explicar melhor.
Durante uma fase da minha vida profisional ( que chique falar assim de trabalho, non? xD ) me largaram num canto esquecido onde ninguém ia e ficou por isso mesmo.
Só que eu, modéstia a parte, em dado momento, sacudi aquela m* e fiz as coisas funcionarem como se devia.
Eu não amolava ninguém, chegava no meu horário, cumpria meu horário de almoço a contento, enfim, eu seguia o decoro que me pediam.
Plus, fazia a coisa funcionar.
Acontece que um belo dia, fui arrancado dali por razões que até hoje desconheço, me meteram num antigo local de serviço e ficou por isso mesmo.
Desnecessário dizer que foi ali que eu liguei o foda-se.
E ele ficou ligado até agora.
Só que cansei. Eu quero fazer as coisas corretas, mas aprendi, do jeito mais díficil que as pessoas são 90% mais emocionais do que racionais.
E estou falando de gente adulta, que teoricamente deveria ser mais racional, vivida, dessas coisas.
Só que, eu ligando o foda-se, relaxando 200% por bronca do que fizeram comigo e mantendo isso indefinidamente, qual é então a diferença entre eu a minha antiga algoz que agiu de forma completamente emocional pra cima de mim, ignorando tudo de bom que eu tinha feito ali??
Nenhuma.
Ela, naquela ocasião, ligou o foda-se pra mim e fez o que fez.
Eu, ressabido, liguei meu foda-se e fiquei nessas até hoje.
Chega. Ninguém vive de foda-se pra sempre.
É preciso mais equilíbrio pras nossas vidas. =(
É isso, valeu. =D