quinta-feira, 10 de março de 2011

Crítica - Anarriê

Ou:  O que Michel Borges tinha na cabeça quando fez esse quadrinho??

Salve todos! Entonces, continuando nossa incansável sede de crítica de quadrinhos, falo hoje para vocês de Anarriê, álbum lançado durante o último Fest Comix.
Hummm...por onde eu posso começar...?
Tão vendo a capa aí em cima, né? A capa é coloridona, chamativa, a idéia dos pivetes remete algo de uma história infantil, e é bem por aí.
O traço do Michel Borges não é aquele delírio como as meninas do Estúdio Seasons ou do Futago Estúdio, é algo mais simples, mas ainda assim puxa um cadinho de mangá.
Como desenhista, o Michel sabe desenhar cenários, pegar ângulos com uma boa perspectiva (pelo menos pra mim né?), enfim, tecnicamente o traço dele, mesmo sem ser demais, funciona.
Problema é o que ele escreve!
Resumo básico da história: Andressa e Gabriel vão pra festa junina da escola. Tá. Eles se detestam. Ok. Chegando lá, descobrem que seus pares na quadrilha faltaram ( coincidência, né? ) e que ELES TERÃO QUE DANÇAR JUNTOS!
Ok, merda feita. Obviamente os dois gostariam de mandar os profes a merda, mas precisam ficar com os pais e essa papagaiada toda de festa junina em escola. Durante uma dessas brincadeiras xaropes de escola, eles ganham um estranho chocalho com motivo indígena e brigam para saber quem ficará com ele.
No meio da treta, eles tocam o chocalho e do toque do chocalho (ui, que sexy!) fazem TODO MUNDO NA QUERMESSE VIRAR PIPOCA.
Tá, eu ri.
Merda feita [2]. Os moleques ficam mais perdidos que cego em tiroteio e eis que apareça ela, a grandiosa, a funhanhosa, a incrível, CAIPORA!
(Que infelizmente não tem nada a ver com a Caipora do Castelo Rá-tim-bum, saudades! ç_ç)
A Caipora ( ou melhor dizendo: Mira Anhangá, ela mesma se chama assim! ) chega num porco-do-mato gigante ( ou melhor dizendo, um Cateto, cacete! D: ) chamado Buta! Humm...Buta, Butt, sei não...nome estranho esse! Tira um sarro dos moleques que eles usaram um feitiço do berego lá sem saber e conta que geral virou pipoca!
Os garotos ficam com a cara no chão.
Felizmente, a Cai...digo, Mira Anhangá fala pros pivetes que eles podem salvar geral, se juntarem 5 amuletos, uns tais Muiraquitãs ( eita porra!!! ) antes do anoitecer.
Ela oferece o porco, digo, Cateto para ajudar eles e lá vão os moleques rodar o Brasil atrás dos tais Muiraquitãs.
Ah, o Cateto AVOA. Sim AVOA, é um bicho mágico, então foda-se, ele AVOA mesmo.
E a ca...digo, Mira Anhangá não tem os pés virados pra trás. Eles estão normalzinhos. Pequena falha, mas perdoável, vá lá!
Bem, acho que posso mandar spoiler, né? Com um resumo desses aí em cima vocês já devem imaginar como termina essa história. Os moleques passam por muitos locais, vão pro Paraná, Gruta do Lago Azul ( Lagoa azul, huh?? oO ) Pátio do Colégio em SP, e dão até uma passada no Festival de Parintins, no Amazonas, onde acontece a disputa entre os bois-bumbá Garantido e Caprichoso.
Olha, eu fico pensando pra quem o Michel Borges escreveu essa história. Sério.
Não foi pra mim, leitor calejado de quadrinhos de mais de 30 anos. Nem haveria de ser.
Não foi pra crianças, elas não querem saber desse negócio de festa junina ou folclore brasileiro.
Não foi pra jovens, que cagam e andam pra isso citado acima.
Não é pra adultos, não, não mesmo.
Pra quem foi então?
Mistério.
Pior é ver o ProAc, que tem uma proposta até nobre, por assim dizer, ficar atolado por HQs como essa, que vão do nada pra lugar algum.
Que não acrescentam nada.
Que não falam com ninguém, só com o autor!
(Acho que nem com o autor!)
 Não falando sério, sem zoeira!
Michel!
MICHEL!
Porra cara, tu entrou no edital, eu pago meus impostos, foi grana minha aí pra patrocinar essa tua brincadeira!
ENTENDEU?  FOI GRANA MINHA PRA PATROCINAR TEU ÁLBUM DE MERDA, CARA!
Você deve estar de boa na lagoa, sabe que as pessoas não ficam sabendo desses editais, menos ainda que estão bancando produção de gibi que nunca vão ler!
Pode fazer a merda que quiser, tanto faz no fim das contas, né?  Vc publica, a gente não lê, e foda-se todo mundo, o que importa é tu, não é isso?
Tem que enriquecer teu currículo de "artista" né?
A custa de dinheiro de gente de todo estado de SP!
Palmas, parabéns Michel! Quão grande você é!
Um grande canalha isso sim! E canalhas nunca fazem nada que presta!
Por sinal, tava olhando teu blog, a história é tão legal, tão importante pra ti que só teve UMA entrada em todas as postagens!
Quer dizer, você mesmo sabe que fez merda, mas admitir que fez...Ah, admitir...
Amador "profissional"!
É isso que tu é!
========
(Des)Serviço
Nome: Anarriê
Editora: HQM
História e Desenhos: Michel Borges
Nº de Páginas: 104
Preço: R$ 29,90  (Pechincha, né? Será que rola reembolso pra mim?)

3 comentários:

Cynthia de Melo disse...

nossa eu to com medo de vc
asuash
mas a historia pelo o que vc contou
deve ser uma merda
AHuahuA nem curto festa junina mesmo eu nao compraria
mas gosto é gosto,fazer oque
(comprar maracujina pro fabiano)

Anônimo disse...

Ótimo post - é só o q tenho a dizer.

Ah, só uma pequena correção: não é a Caipora que tem os pés virados para trás, mas sim o Curupira.

The Fool disse...

@ Anônimo: Falha minha! Foi tanto desgosto com essa coisa que confundi mesmo! x.x