quarta-feira, 11 de junho de 2008

Um lembrete


Fazer quadrinhos no Brasil é como ter mercearia de esquina! Pelo menos, para a maioria dos artistas.
A diferença sutil, é que o quadrinheiro não consegue se manter acomodado.
Simplesmente acaba.

6 comentários:

Rocco disse...

Claro que essa afirmação só vale pros amadores.

Fabiano Alves disse...

Profissionais também não estão com essa bola toda, Rocco.
Maurício de souza é um fóssil, é profissional, mas é um fóssil e já estagnou faz tempo.
Mozart Couto não faz mais porra nenhuma.
Marcelo Cassaro? Bem, é mais fácil mandar 4 páginas de quadrinho chulé pra rpgista por mês do que encarar de novo a epopéia de arriscar publicar em banca...Note que nem mini-série ele arriscou mandar de novo. Ele sabe que se mandar gibi pra banca vai encalhar.
E muito!
A turminha do Ethora? Hahaha!
Eddie Van feu cansou, é melhor fazer livrinho e revistinha de Wicca do que tentar gibi de novo.
Yabu e Nagado? Pfff! Nem pensar!
Faltou algum profissional aí? Ah, mas com certeza.
Mas eles foram pro exterior, onde são melhor tratados!
Resultado tu vê em banca. Gibi coreano, americano, japa...
Daqui a pouco vai ter editora trazendo até gibi do Uzbequistão!
Mas brasileiro? Rá! É ruim, hein?

Junker disse...

Se é bom, tem lugar, nem que seja exportado pros estados unidos.
Todos os citados por você não são profissionais, com a exceçao do mauricio de souza. O que temos em quadrinho profissional aqui por enquanto só desenhistas e todos exportados.

Anônimo disse...

É claro que só temos desenhistas. Aqui no Brasil só tem analfabeto.

Fabiano Alves disse...

Olha, sou obrigado a concordar com vocês.
Do que eu li por aí de gibi nacional, e olha que eu fiz uma força para ler, tava tudo muito ruim.
Não me distraía, não me emocionava, nada.
O povo que tá por aí não tem as manhas.
Teve um gibi que eu li, o tal Panteras Lésbicas.
Tinha um cara lá, o Ohki( esqueci o nome verdadeiro do doido )que, meu!
Putamerda, o cara desenhava um preto-e-branco que esses merdinhas por aí não conseguem com core de nenhum photoshop!
A merda: o desenhista é velho, é de outra época, e hoje em dia ele não faz mais nada. Ele só desenha pornografia de vez em quando e finito.
Ele não serve.
Junker, não sei qual é seu critério para definir quando um artista é profissional ou amador. Todo esse povo que eu citei publicou, ainda que em editoras pequenas, mas publicou.
Pra mim, publicou em banca, é profissional, claro que publicar e vender bem, fazer o negócio render como fez o Maurício, são outros 500...
Mas vejam vocês como são as coisas; o Maurício, embora velho, ainda tem público, tem um nicho lá que compra as revistinhas dele por ene motivos.
Maurício virou uma mercearia de esquina. Ele não vai expandir mais nada do negócio dele. Não tem porque arriscar mais. Tá bom do jeito que está.
Ele está velho. Daqui a pouco morre.
Já o resto do pessoal que eu citei, nem se prestam a ser mercearia!

Edu disse...

o profissional é o cara que tem emprego. e tem emprego porque é bom, as grandes editoras querem o desenho dele. o profissional exportado publica no BATMAN, SUPERMAN, HULK, HOMEM-ARANHA, etc, etc.